Levantamento da Fronius aponta que os brasileiros investem em média R$ 20 mil para ter energia limpa e economia de mais 80% na conta de luz.

Fronius

Os brasileiros estão pagando mais caro pela energia elétrica a partir de julho. A previsão de mais aumento nas tarifas de energia provocado pela redução dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas da região centro-sudeste do país deve impulsionar a demanda dos consumidores por soluções de energia solar. Só a Fronius do Brasil, subsidiária da fabricante líder de inversores fotovoltaicos, prevê um crescimento de 50% neste ano nas vendas de equipamentos em relação ao mesmo período do ano passado.

As projeções da Fronius confirmam as estimativas da Absolar – Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica. Recentes dados da entidade revelam que o mercado deve atrair R$ 17 bilhões em novos investimentos no Brasil até o fim de 2021, tanto de empresas fabricantes como de consumidores que querem adotar o sistema fotovoltaico como principal fonte de energia.

Segundo Alexandre Borin, gerente comercial da divisão Solar Energy da Fronius do Brasil, a geração distribuída, ou seja, a energia gerada por consumidores, vem crescendo ano a ano e já responde por 64% do total de potência instalada, contra 36% da geração centralizada. “Diante da crise hídrica e com os bancos ampliando as linhas de crédito, acreditamos que as vendas devam superar nossas expectativas para o segundo semestre de 2021”, afirma.

Quanto custa ter energia fotovoltaica? 
Levantamento feito pela Fronius mostra que os brasileiros precisam investir em média R$ 20 mil para instalar um sistema fotovoltaico em sua residência. Entretanto, o investimento, ainda que um pouco salgado, compensa pela economia proporcionada pelo sistema. “Logo nos primeiros anos de uso, o sistema fotovoltaico pode reduzir em cerca de 80% a conta de energia elétrica, o que impacta positivamente nos custos operacionais de uma empresa e, no caso de uma residência, proporciona sensível economia para a família.

A economia se torna ainda maior com a adoção de medidas de eficiência energética, como uso de lâmpadas LED, eletrodomésticos que consomem menos energia, entre outros”, diz Borin.

Além da economia gerada, o sistema fotovoltaico traz vantagens ao meio ambiente por não emitir CO2 na atmosfera e tem a possibilidade de armazenar a energia excedente produzida em baterias.

No caso da Fronius, o maior interesse em se adquirir um sistema fotovoltaico está entre os consumidores residenciais, redes de supermercados, indústrias, postos de combustíveis e empresas do agronegócio. “Verificamos também um crescimento no segmento de empresas de grande porte que precisam de mais potência”, informa Borin.

Para atender essa demanda, a Fronius do Brasil está colocando no mercado inversores fotovoltaicos de última geração, o Tauro, voltado para uso comercial e industrial de empresas que precisam de potência de 50kW a 100kW, além do inversor GEN24 Plus, modelo híbrido e compacto de 3kW a 6kW, para residências, que integra energia solar às redes de transmissão elétrica e baterias.

Serviço:
Fronius
11 3563-3800
fronius.com.br