Consumidor deve evitar produtos que não possuem certificação, pois a baixa qualidade pode colocar em risco a sua segurança.

O uso das lâmpadas LED tem sido cada vez mais difundido entre os consumidores no Brasil, em virtude de vantagens como economia, eficiência e sustentabilidade. Tanto que hoje é possível encontrar todos os tipos de lâmpadas LED, muitas vezes com os mesmos formatos das lâmpadas que conhecemos de outras tecnologias, com a finalidade de facilitar a vida do consumidor nessa substituição.

Para garantir que os produtos disponibilizados no mercado estejam em conformidade com padrões específicos de segurança, desempenho e qualidade estipulados por um órgão certificador renomado, desde o dia 17 de janeiro de 2018 está proibida a comercialização no País de lâmpadas LED, do tipo com dispositivo de controle integrado à base, sem certificação do Inmetro.

Entretanto, a despeito dos esforços de fiscalização pelos órgãos competentes, ainda é possível encontrar no mercado brasileiro lâmpadas baratas, com baixa qualidade, não só em termos de desempenho, mas também de segurança, oferecidas por importadores e fabricantes oportunistas.

Para que o consumidor tenha mais subsídios na hora de adquirir o produto, a Abilumi (Associação Brasileira dos Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação) desenvolveu a campanha “Como Identificar uma Lâmpada Irregular?”, que será veiculada nas mídias sociais e em veículos online do setor. Confira as 10 dicas:

É vendida sem nota fiscal.
É em geral muito mais barata que o modelo concorrente similar.
Não traz informações em português na embalagem.
Não possui certificação, a exemplo do selo do Inmetro.
Não identifica o nome do importador/fabricante na embalagem.
Não traz o CNPJ do importador/fabricante na embalagem.
Não informa um canal de atendimento ao consumidor (SAC).
Não traz a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence).
Não informa dados como potência em Watts e fluxo luminoso em lúmens.
Acesse o site http://registro.inmetro.gov.br/consulta/ e preencha qualquer dado sobre o produto. A lâmpada é irregular se o status do registro informado for SUSPENSO ou CANCELADO.

Preço não deve pautar a escolha do LED – Segundo o engenheiro elétrico e Assessor Técnico da Abilumi, Rubens Rosado, consumidores que se preocupam apenas com o preço no momento de aquisição de suas lâmpadas perdem triplamente. “Primeiro, por colocarem em risco sua vida e suas instalações, com produtos que não têm, por exemplo, isolamento adequado e proteção contra curto circuito”, orienta.

“Segundo, por estarem sendo enganados em relação às informações de embalagem, como fluxo luminoso e potência, inferiores ao que o produto proporciona. Terceiro, por que fica difícil para os importadores e fabricantes comprometidos com a qualidade trazerem para o mercado interno produtos com novas tecnologias, mais eficientes, mais seguros, que estão surgindo no mercado internacional a cada dia”, explica o especialista.

“A qualidade tem um preço, que deve ser justo para quem comercializa e para quem adquire um produto”, completa o engenheiro.

Serviço:
Abilumi
(11) 3874-2703

Home