Enquanto nova norma tornará selo do INMETRO obrigatório para equipamentos destinado a vias públicas, distribuidoras não podem mais revender produtos residenciais e comerciais não certificados para o comércio

Certificação

O aquecido mercado de iluminação LED está se adequando a duas novas Portarias doINMETRO. A primeira, em vigor desde o ano passado, de nº 143/2015 (complementada pelas nº76/2016 e nº221/2016), , tornou mandatória  a certificação paras lâmpadas de uso doméstico a partir desse ano. Por conta dela, de outubro em diante, os fabricantes e importadores estão proibidas de revender produtos sem o selo de conformidade adequado e os comércios terão entre 9 e 15 meses para tirar produtos não-certificados das prateleiras.

Já para as luminárias LED destinadas a vias públicas, que ganham espaço entre as prefeituras do país mesmo sem controle oficial por parte do INMETRO , a normatização também deve vir logo, com a portaria nº 317/2015, atualmente em consulta pública. A legislação é uma necessidade em um setor que não para de crescer. “Além de garantir qualidade ao consumidor final de lâmpadas LED, a certificação dá ao mercado condições realistas de competição”, destaca Alexandre Kozik, gerente de vendas na UL do Brasil.

Desde 2015, as prefeituras de cidades importantes fecharam contratos milionários para modernizar a iluminação pública. No Rio, foram R$63 milhões investidos e São Paulo já começou a substituir as luminárias tradicionais – até 2035 serão mais de 715 mil lâmpadas LED. “É a primeira nova tecnologia depois de anos com apenas dois tipos, lâmpadas do tipo incandescentes e de descarga, por isso, as especificações legais só começaram a surgir recentemente”, aponta Alexandre Kozik.

Segundo o Instituto International Navigant Research, até 2023, as lâmpadas LED dominarão 74% do mercado.  Mais econômicas, eficientes e amigas do meio ambiente, é consenso que as lâmpadas e luminárias LED são o futuro… Mas quem vai saber se as lâmpadas duram mesmo 25 mil horas – ou 50 mil horas no caso das luminárias? Eis aí um dos principais problemas do mercado atual da iluminação LED.

“Benefícios alegados em produtos à venda hoje sem certificação, como vida útil e eficiência, não foram devidamente testados. Comprovamos isso na prática avaliando produtos encontrados nos comércios, antes do início da certificação de lâmpadas LED”, diz Roberto Mendonça, responsável técnico pela área de Lightining da UL. A empresa é um dos Organismos de Certificação de Produto (OCP) acreditados pelo INMETRO para emitir o selo de conformidade dos produtos de iluminação LED.

Novas tecnologias, novos parâmetros de qualidade – “Até agora, os programas de certificação só mediam a eficiência luminosa das lâmpadas fluorescentes compactas, a relação entre o fluxo luminoso e a potência consumida”, explica Mendonça. Já para certificar lâmpadas e luminárias LED, OCPs como a UL levam em consideração diversos outros critérios de qualidade, como durabilidade do produto e ensaios de segurança, além de auditoria no fabricante do produto.

Um exemplo disso são as perturbações eletromagnéticas, ou ruído, na rede elétrica. “O circuito eletrônico das Lâmpadas LED sem certificação podem gerar alto índice de interferência eletromagnética na rede, um problema especialmente delicado em locais como hospitais, com equipamentos que não podem oscilar. Isso não era medido antes nem nas lâmpadas Fluorescentes Compactas”, ressalta Mendonça. Outras grandezas avaliadas nos ensaios são, temperatura de cor correlata e índice de reprodução de cor, que avalia a qualidade da luz emitida.

Benefícios das lâmpadas LED nas vias públicas – Em primeiro lugar, está a economia. A ABILUX, Associação Brasileira das Indústrias de Iluminação, estima que, ao substituir as lâmpadas de mercúrio e sódio das vias públicas, economiza-se o consumo de energia em até 70%.

“Levando em conta que ela tem fluxo luminoso  e indíce de reprodução de cor melhorando a visibilidade. Isso reflete na rua e melhora a segurança das vias tanto para os pedestres quanto para os motoristas”, aponta Kozik. Por último, a luminária LED é amiga do meio ambiente, pois não libera gases nocivos, como os sistemas de iluminação fluorescentes e a base de mercúrio.

Serviço:
UL
11 3049-8300 / 51 3095-8600
http://www.ul.com.br