Com a evolução do mercado de telecomunicações, as redes FTTx, ou Fiber to the X, vem se tornando cada vez mais desenvolvidas, usando a fibra óptica ao invés do cabeamento metálico ou coaxial que normalmente é usado para a telecomunicação. A substituição pode ser feita total ou parcialmente, otimizando a rede de banda larga que vem sendo usada para o consumo dos serviços online. Trata-se, portanto, de uma arquitetura de rede de banda larga que foi chamada de rede FTTx.

Feita para sistemas de redes FTTx, o Dio FTTA serve como ponto de acomodação do splitter óptico (divisor de potência óptica e responsável pela otimização do número de fibras no cabo óptico). O cabo óptico drop mini que chega da Caixa terminal Óptica é emendado à entrada do splitter dentro do Dio FTTA e disponibiliza portanto, N saídas para atendimento aos assinantes.

As redes FTTx podem ser apresentadas em diversas arquiteturas, entre elas:

FTTN, ou Fiber to the Node: esta, ao sair da central, conecta-se à um armário de rua, denominado street cabinet, sendo ligada à conexão final do cliente, que é de cobre;

FTTC, ou Fiber to the curb: a fibra vai até o armário de rua para, em seguida, ser distribuída entre os assinantes da região por meio de cabo coaxial ou par de cobre;

FTTD, ou Fiber to the desktop: a conexão de fibra é instalada a partir do CPD, segue para um terminal ou um conversor de mídia próximo à mesa do usuário;

FTTB, ou Fiber to the building: a fibra chega ao prédio e então a sua distribuição é feita por meio de uma rede Ethernet e cabo coaxial, ou o par de cobre;

FTTA, ou Fiber to the Appartament: a fibra chega ao apartamento do assinante.

FTTH, ou Fiber to the home: a fibra é levada até a residência do usuário final. A velocidade pode chegar a 100 Mbps (megabits por segundo).

Razões para usar as redes FTTA e FTTH
Por serem compostas por fibra óptica end-to-end, as redes FTTA e FTTH proporcionam altas taxas de transmissão (baixa latência) e grande capacidade de tráfego (enorme largura de banda) além de ser imune às interferências eletromagnéticas.
As arquiteturas de redes FTTx são realidade e apesar de demandarem produtos e mão-de-obra qualificada, são mais seguras quando comparadas às redes metálicas e apresentam menor incidência de manutenções.

Serviço:
Fibracem
(41) 3661-2550

Home