Desde 2012, ano em que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) regulamentou o segmento de geração distribuída, os moradores podem produzir sua energia através de geradores próprios e podem trocar com a energia da rede da distribuidora.

Blue Sol

Através de um sistema de créditos energéticos, a energia gerada durante o dia compensa o consumo da rede no período noturno, permitindo uma redução de até 95% na fatura e ainda a possibilidade do uso de créditos excedentes em outros imóveis do mesmo titular.

Essa possibilidade caiu como uma luva para os brasileiros que pagam a quinta mais cara energia do mundo e, atualmente, mais de 54 mil deles já fazem parte do segmento distribuído, sendo que até 2024 a Aneel estima mais de 886 mil consumidores com placas solares em seus telhados.

Somente no estado de São Paulo, segundo maior do Brasil na utilização de sistemas de placas fotovoltaicas para geração elétrica, o crescimento no número de “telhados solares” em 2018 foi de impressionantes 139%.

De acordo com o banco de dados da ANEEL, até o final de 2017 haviam conectados na rede elétrica 4.020 sistemas fotovoltaicos em São Paulo, número que chegou aos 9.639 no final do ano passado e que engloba moradores comerciais, rurais, públicos e, principalmente, residenciais.

Um desses moradores é o Ademar Menezes, empresário na cidade de Ribeirão Preto que instalou o sistema em sua farmácia em 2015 e, desde então, já economizou R$44 mil “foi o melhor investimento que fiz na vida.”, diz ele.

Entre as cidades do estado com mais sistemas, Campinas lidera o ranking com 809 conexões, seguida por São Paulo, com 528 e São José do Rio Preto com 285 sistemas fotovoltaicos.

Serviço:
Blue Sol Energia Solar
(16) 4009-5600
bluesol.com.br